Esqueci minha senha

Vibrando com as cordas do Oud (Alaúde)

Escrito por Triana Ballesta

 

É um instrumento de corda marcante e muito antigo nas culturas árabes. Ele propaga sons ao vibrar suas cordas, assim como qanum, buzuk e outros. No início pode parecer confuso distingui-los, mas com o tempo, exercitamos a nossa audição para esse fim. Ouvindo muita música árabe com atenção e procurando saber de onde vem cada som diferente você estará praticando, estudando e se sensibilizando com essa arte.

 

O Oud, conhecido também no Brasil como Alaúde (Al-oud). É comum ouvirmos um taqsim deste instrumento em musicas clássicas ou mesmo momentos mais breves que compõem frases melódicas.  

 

Ao longo da história dos povos árabes, era comum recitar longos versos ao som do oud. Ele era praticado por mulheres e homens a indispensável em toda forma de comemoração festiva. 

triana-oud-2

 

Podemos adicionar adjetivos aos sons para expressar os nossos sentimentos quando ouvimos. Por exemplo, o oud pode parecer melancólico, pesado, profundo e galanteador com seu som grave. Ele me parece ter adquirido muita sabedoria ao longo de sua longa história!

 

(Theodore Chasseriau - Reclining Odalisca)

Pode se apresentar em notas únicas de 4 tempos ou em notas fragmentadas em 16 ou 32 tempos de nota seguidamente: "blammmmmmmmmmmmm, blam blam blam blam......", como um turbilhão de águas claras!

 

 

"Vocês certamente não precisam imaginar o meu "blam", vou apresentar algo melhor.

Vejam o grande mestre Farid El Atrash emocionando a todos e ouça sua poesia:

 

 

 

Hossam Ramzy costuma dizer que sentimentos não se ensinam. Eu concordo com ele, por isso, a dança de cada bailarina é unica, assim como seus sentimentos. No momento em que você dançar o oud, certamente irá expor seus sentimentos, além de sua habilidade, claro.

 

 

Espera-se que toda bailarina oriental esteja em total sintonia com a música que está dançando, já que a dança oriental nada mais é do que traduzir a música com os movimentos do corpo (insisto em repetir sempre). Então, se sentir dificuldades em vibrar com as notas do Oud, você pode observá-las. Observar as cordas vibrando e de como os dedos do musico as tocam. Caso não tenha oportunidade de ver ao vivo, pode ver em videos, ou pode brincar com um violão comum. O importante é observar como as cordas funcionam. 

 

 

Esse exercício de observar e apenas ouvir com cuidado e calma pode lhe proporcionar o momento de paz que necessita para aguçar a sua criatividade, "viajar" mentalmente para depois colocar em prática!

 

 

O som do Oud merece realmente ser dançado, traduzido, vivenciado. Seria realmente uma lástima passarmos por ele despercebido em uma música. 

 

triana-oud-3

  

Ao dançá-lo, seus quadris irão fazer pequenas batidas a cada nota emitida e isso se transformará em tremidos soltos, às vezes mais curtos e às vezes mudo. Enquanto isso, sua melodia desenhará no ar ondas do mar, círculos do ventre. E o silencio entre uma nota e outra irá paralisar o tempo e congelar os olhares.

 

O único problema de todo bom músico é que toda boa bailarina pode roubar seu brilho, pois ela ilude o público a pensar que a musica sai de seu próprio corpo!

 

 triana-oud-4

 

Triana Ballesta
(41) 3226-7579 / 9232-2359
http://trianaballesta.blogspot.com

 


Veja Mais ver todas +

Nuvem de Tags

bailarina egitoliteratura dança do ventre homenageada central danca do ventreartigobailarina homenageada brasil arte vídeos professorabailarina cairo homenagem dançarevista musica